segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"PRAXE" DOS LENÇOS

video
Como prometido no post anterior, aqui fica o video do momento da "praxe" dos lenços, a um dos recém empossados lobitos - o meu menino...
Para quem passou por uma das mais duras provas na vida - o diagnóstico de uma perturbação incapacitante e incurável a um filho - este momento tem uma carga emocional e de felicidade INIMAGINÁVEL! O diagnóstico mantém-se, apesar das imensas melhorias... mas a vida prossegue e vai-nos sempre sorrindo, mostrando-nos que há sempre esperança e que há caminho para além disso!
Mantém-se a "sentença" de provável dependência no futuro, mas a vida tem-nos mostrado que há sempre quem nos acompanhe, que nunca se está sózinho, que sempre há quem caminhe connosco e nos ajude a tornar os sonhos em realidade.
Mantém-se o diagnóstico, mas o nosso filho é uma pessoa com vontades, com força, com alma e com uma imensa luz própria que se tem sobreposto tantas vezes, à carga do nome pesado que tem o seu diagnóstico.

E Nós - como seus pais - tentamos apenas que seja feliz! Tentamos proporcionar-lhe um ambiente harmonioso e feliz ... e isso começa em casa, em nós - lutamos nós próprios por sermos felizes! Negamos valorizar a toda a hora as coisas menos positivas! Negamos deixar-nos abater pelos dias mais dificeis! Procuramos viver um dia de cada vez, valorizando sempre muito mais, aquilo de bom que vamos encontrando pelo caminho! E AGRADECEMOS... Agradecemos sempre e agradecemos TUDO!

UM GRANDE DIA


Queria deixar registados, alguns momentos especiais que vivemos ontem - dia de conquistar o tão desejado lenço dos Escoteiros! O VASCO É AGORA UM VERDADEIRO ESCOTEIRO - UM LOBITO! Foi um dia intenso, cheio de tudo e com muita emoção.
Ficam algumas fotografias, que ainda assim, são apenas uma pequena amostra... Postareí seguidamente um video, da "praxe" que se seguiu à cerimónia do lenço!
Momentos únicos de conquista, mas principalmente de partilha, de solidariedade e de alegria!
Nestes dias, sentimos que tudo vale a pena, que existem pessoas fantásticas, que podemos e devemos sonhar! Dias em que sentimos que estamos mesmo acompanhados porque no silêncio de um momento especial, conseguimos até ouvir a conspiração e todos os pensamentos positivos daqueles que estavam connosco, e que torciam para que tudo corresse bem! E correu bem!


E foi possivel por todos - OBRIGADA, por isso, a TODOS! Espero e desejo que também a todos, de alguma forma, a felicidade os tenha contagiado neste dia!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O MEU SOL NOS DIAS CNZENTOS


... E brilha, brilha, brilha!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

MANIAS


Existe um defeito em mim que nunca reconheci verdadeiramente - Tenho a mania das grandezas! Não das grandezas nas coisas que se possuem, nem naquilo que se quer aparentar ter - nada disso - é uma mania de grandeza ainda maior: mudar o mundo para melhor!
Mudar o rumo das vidas dificeis que vou conhecendo, para melhor. Ter o dom de numa espécie de milagre, conseguir alterar o percurso de algumas das vidas de pessoas com quem me vou cruzando. Incutir-lhes esperança, alegria de viver, mostrar-lhes VERDADEIROS motivos para se animarem...
Tenho, (lógicamente por isso), sentido a frustação de não conseguir mudar nada, e dou comigo em situações complicadas por ter esta ingénua mania.
Sinto (também por isso), um mal estar imenso e um sem numero de sentimentos que nem sei bem clarificar, e que me convinha, a ver se me entendo!
E isto é tão incrívelmente naif... com esta minha mania, ocupo horas dos meus pensamentos em coisas que não me pertencem; dou comigo a sentir as dores dos outros como se eu própria não tivesse já as minhas, ou como se isso fosse de alguma maneira ser útil para alguém; e o pior de tudo é que não consigo alterar RIGOROSAMENTE NADA!!!
Parece que cada um tem mesmo o seu caminho e que lamentavelmente existem caminhos que têm de ser percorridos na solidão. Só que esta "equação" não satisfaz os meus ideais - sempre penseí que é nosso dever olhar para os lados e apoiarmo-nos uns aos outros.
Faço a minha própria prova dos nove e o resultado é simples: Não tenho tamanho para isso!
Queria, mas definitivamente não tenho essa capacidade, nem consigo dar apenas a mão, sem cair na tentação de logo a seguir, dar "o corpo" todo, a alma... entregar-me. Este falso prótotipo de altruísmo, é negativo e derrota-me, pelo que deveria apenas limitar-me àquilo que sou capaz! Talvez me falte humildade.

Se ao menos eu não soubesse que existem.
Se pelo menos não conhecesse as histórias... Se não visse tão claramente os sofrimentos espelhados nas expressões! Como é que eu faço para não ver? Como é que faço para não me contagiar? Como é que se desliga o botão?




Não me é facil porque no fim das contas, pergunto-me sempre: afinal, do que é que tu és capaz? Qual é mesmo o teu tamanho?
 
Web Statistics