quarta-feira, 8 de setembro de 2010

PEDRA NO SAPATO

Tenho dormido pouco... O dia passa rápido, sempre ocupado por todas as solicitações de atenção, por parte do Vasco. Não há grande margem para as minhas coisas - aquelas que chamo de só minhas, como tomar um simples banho completamente descansada, ler, escrever, tratar de assuntos que me digam respeito. Durante o dia, definitivamente, não há tempo. O Vasquinho quer-me a todo o instante. Excusado será dizer que esse facto muito me agrada, porque contraria o aspecto autista de um certo gosto pela "solidão", mas em certas alturas, esgota-me. É quando chega a noite, que tenho alguma hipótese de entrar no meu espaço - muitas vezes retirando-o ao pai Miguel. È uma fase... nem sequer é má, apenas é demasiado exigente. Tenho alturas que penso que até já o Vasco estará um pouco "saturado" de mim, e desta rotina das férias escolares com a mãe, (que começa a ver esgotadas as actividades possiveis de fazer com ele). As férias são demasiado grandes. Lembro que eu adorava a escola e quando se aproximava a data do seu iníco, ficava sempre muito ansiosa pelo dia. O Vasco deve sentir como eu sentia... ou parecido, porque lhe noto saudade. Pede-me trabalhos: cópias, contas, e tarefas - tal como faz na escola - e eu feliz da vida vou-lhe dando essas actividades conforme posso e sei. Fico imensamente feliz quando vejo que lhe agradam os exercicios e que inclusivamente os vai melhorando e aperfeiçoando, cada vez mais, com gosto. Mas a intervenção técnica (das suas professoras) em meio escolar é vital para que prossiga neste caminho de desenvolvimento das aprendizagens curriculares (de acordo com as suas capacidades) e sociais (integração com outras crianças e comunidade). Por tudo isto, desejo o início escolar, mais que sempre.
Entretanto, os dias passam e as noites são muito pouco dormidas... é normalmente à noite que tenho licença para vir até ao meu "mundo" e estar a sós com os meus pensamentos, mas o sono começa rapidamente a vencer-me e não posso ficar acordada comigo, toda a noite - como eu queria. Mas não me queixo, porque a verdade é que vou dando conta da missão, apenas (e não é pouco), tenho uma "pedra no sapato" - por sinal uma que me magoa bem fundo e fininho no pé. É o tempo que não tenho para estar com o pai Miguel... Não consigo dividir-me mais, e não tenho capacidade de prescindir dos meus bocadinhos, sem sentir que começo a ficar "demente"... preciso deles, mas preciso igualmente dos nossos momentos a dois e não tenho sabido como o fazer. Espero que o pai Miguel me perdoe e acima de tudo que me compreenda, as coisas encarrilarão em breve, outravez.

9 comentários:

Em Busca de um Anjo disse...

Amiga, com o AMOR incondicional que sentem um pelo outro, e ambos pelo Vasco, vão concerteza conseguir recuperar esses momentos... Até porque a escola está quase, quase a começar e possivelmente via ter mais tempo para ti durante o dia...
Beijos a todos...
Já te disse que te adoro:)))

Sandra disse...

É lindo o vosso amor... tenho a certeza que o teu Miguel te ama mais ainda por seres a mãe que és... vai tudo correr bem.

Um beijo

Mina disse...

Amiga como entendo esses sentimentos de " semi-culpa", é sinal que te preocupas com os que estão próximos e sei que o pai, marido Miguel te entende muito bem e saberá que em algumas alturas o papel principal é o de mãe...
E saberá esperar pela hora dele, embora haja muitos casais que não superem essas fases mas isso não se deve só ao facto de ter filhos diferentes...
Se tiveres possibilidade de um dia o deixares o Vasco com um familiar ou amigo, ires namorar, ás vezes são precisas umas escapadelas...
bjocas

Isabel Santos disse...

cRISTINA
TUDO O QUE SENTES É TÃO NATURAL,MAS A ESCOLINHA A COMEÇAR E O TEMPO PARA O MIGUEL VAI SURGIR COMO DANTES.QUANDO HÁ AMOR NÃO HÁ COBRANÇA.
BEIJINHOS

Fê-blue bird disse...

Minha amiga como a compreendo...
As férias nunca são muito gratificantes para mim, pois ser mãe e esposa é dar...dar e embora não me possa queixar do amor incondicional que recebo, muitas vezes preciso de estar sozinha comigo e não consigo.
Finalmente hoje o meu marido começou a trabalhar e embora os filhos só para a semana e que têm aulas, sinto que já começo a ter o meu espaço e a conseguir desabafar por aqui :-)
O amor quando é forte e verdadeiro, resiste a tudo, fala a voz da experiência ;-)

Obrigada pelas suas palavras amigas e carinhosas no meu blogue, a Atena faz parte de um grupo de amigas queridas que tenho a sorte de ter por aqui.

Um beijinho grande

nedav disse...

Certamente perdoará...Verdadeiros guerreiros vencerão sempre :)

Grande Abraço

Atena disse...

Um grande beijinho a todos e obrigada pela vossa maravilhosa presença e carinho.

EC disse...

Olá Cristina
Arredada da escrita mas não das visitas ao seu blog só posso comentar que compreendo a pedra no sapato. Essas pedras fazem de si uma mulher consciente de alma enorme ... As pessoas que a rodeiam só se podem orgulhar de a encontrarem na vida. Eu só tenho que agradecer o acaso de nos termos cruzado!
Um abraço grande!!
Elvira

caminhante disse...

não há nada que perdoar... no amor apenas há que partilhar. momentos bons, momentos menos fáceis... momentUS

 
Web Statistics