terça-feira, 1 de maio de 2012

"ACEITAR"

Aceitar não é resignar.
Aceitar é confrontar os dois "EUS"
É um longo e tortuoso caminho que merece ser percorrido
Aceitar tem cor
Aceitar é o arco-íris
É amarelo torrado quente como o sol,
E É cinzento na sua corrida alternada entre a luz branca da lua e a noite negra
Aceitar não tem definição
É a viagem até às profundezas do "EU"
Aceitar também tem cheiro
Cheira a terra molhada,
Cheira a infância e a estival alentejano,
e cheira também a montanha, que insistimos escalar com orgulho.
É a barragem, a fronteira que nos distingue e nos une.
É lutar até à exaustão, é querer sempre mais.
É uma luta incansável entre a dor e o AMOR.
No topo espera-nos a PAZ,
A tranquilidade, a serenidade, e o equilíbrio
É verde esperança
É vermelho intenso como o sangue
É olhar para o mar calmo ou durante uma tempestade
e ver apenas uma gota salgada,
ou contemplá-lo na sua imensidão,
em que a pequenez somos nós.
É o nosso caminho, É o nosso lugar no mundo, É a nossa luta e é acima de tudo
AMAR profunda e incondicionalmente

P/GRUPO ESPIRAL
Oficina de Pais - Pais em Rede

14 comentários:

Sandra disse...

Aceitar, é aprender a viver todos os dias um bocadinho melhor, não é ?

( saudades de ti, da tua fabulosa escrita... )

Beijo grd

Atena disse...

Também é isso Sandra e pode aplicar-se a tudo aquilo que a vida nos dá, de mais dificil assimilação... situações que não estamos à espera, mas que fazem parte do nosso caminho:)
Sei que tenho escrito pouco... e também já tenho saudades, mas o tempo não é muito e por vezes a cabeça está tão cheia, que prefiro não me manifestar... esperar um momento de maior tranquilidade para que as inhas palavras sejam leves e positivas para os meus amigos!
Grande abraço querida e obrigada por estares sempre tão pertinho de mim.
Bjinhos grandes

Mina disse...

Grande inspiração.
Quem ficou sem palavras fui eu:-)
Aceito as tuas´palavras como minhas, senão te importas, partilhamos este amor incondicional, esta aceitação e busca constante em construir um mundo mais justo...
beijinhos grande mãe, não deixes de sonhar mesmo nos dias de nuvens cinzentas...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Compreendo o alcance nobre desse "Aceitar", Atena, mas depois há aquele "Aceitar" que não se pode acatar, porque mexe com os nossos direitos e a dignidade humana.
Gostei muito porque, felizmente, neste belo texto, o que está em causa é a parte nobre da aceitação.

Atena disse...

Mina, confesso que a mensagem que me deixas aqui, me toca muito profundamente... Senti um aperto no peito e uma lágrima a soltar-se-me de emoção com o que me dizes! Mais do que as palavras possam dizer, sei o que queres dizer, o que sentes, o que sentimos... Sabemos que no nosso caso, este aceitar quis dizer, aceitar o filho que deus nos deu como ele é e não como todos sonham com um filho. É este aceitar que nem todos os pais atingem... é este aceitar que é confuso, dificil, doloroso, que nos confronta os eus - É uma guerra interior e silenciosa, muitas vezes insconsciente, que confronta a realidade do filho que temos e o que idealizamos... Somos programados para ter filhos "perfeitos", bem sucedidos, os melhores nisto ou naquilo e quando alguma dificuldade surge neste campo, é dificilimo moldar o nosso pensamento à nova situação... Somos sempre tentados a forçar as coisas de forma a que o filho idealizado surja como que por milagre... E nesta tentação sofremos, iludimo-nos, cegamos, e não fazemos o melhor pelo nosso filho, nem por nós. Aceitar é ACEITAR MESMO... E VALE TANTO A PENA! Não se trata de resignar nem desistir perante os infinitos obstaculos que serão uma constante para a vida, trata-se de olhar para os nossos filhos especiais, amá-los incondicionalmente e querer apenas que sejam felizes, seja de que forma for...

Atena disse...

Amigo Carlos, é sempre tão bom senti-lo por aqui. Já sabe como o admiro de outras lutas... Sei que compreende bem o alcance das palavras deste poema, e sentir que nos entendem, algures noutros caminhos, é muito reconfortante e compensador e cada vez é mais raro!
Abraço especial

Rainbow Mum disse...

Aceitar é de facto a tarefa mais difícil que tive na vida. E neste momento estou feliz por ter começado a aceitar aos poucos a ideia de não ter o tal filho "perfeito" e de ao mesmo tempo cada vez mais ele se tornar aos meus olhos o menino mais perfeito que alguma vez vi.

É voltar a conseguirmos olhar para eles sem tristeza e apenas com orgulho, felicidade como deveriamos sempre olhar para um filho.

Ainda não o consegui a 100%, confesso, pois penso muitas vezes no seu futuro, mas com a sua ajuda Atena, consegui fazê-lo um pouco melhor.

Beijinhos.

Fê-blue bird disse...

Amiga Atena:
O caminho é tortuoso até chegar ao ACEITAR, depois é só seguir em frente com força e determinação.
Um texto comovente e imensamente belo que me disse muito, muito!

beijinhos

Rosa Carioca disse...

Aceitar que é na diferença que todos enriquecemos e que avançamos em frente.

Atena disse...

"É voltar a olhar para eles sem tristeza, apenas com orgulho" ...
Que frase tão certa, querida Rainbow, não conseguia expressa-lo melhor e de forma tão simples:) Nem sei que diga quanto à minha ajuda que aqui fala, acredite que também muito me ajudam as suas palavras e me enchem de alegria para ir superando os medos diários, que também tenho sempre... São os nossos meninos que, mais que tudo, nos dão a verdadeira força! Beijinhos

Atena disse...

Querida Fê, percebo que entende bem o que se diz neste texto, quase que diria que já o sentiu na pele... O caminho é muito mais sinuoso e dificil antes do verdadeiro aceitar... depois disso - e apenas àqueles que conseguem verdadeiramente aceitar - a vida vai-se vivendo com mais calma e um dia de cada vez... Abraço forte amiga

Atena disse...

Amiga Rosa, cada vez mais tenho a certeza de que a diferença é mesmo precisa e faz parte determinante no nosso mundo! Quem dera que todos entendessem a riqueza da diferença! Beijinhos grandes

Helena Sabino disse...

Aceitar é ouvir-te sem palavras
é ler-te os pensamentos,
é entrar no teu mundo
e descodificar os sentimentos,
é amar profunda e incondicionalmente,
é ser simplesmente mãe...
:) a espiral vai crescendo cada vez mais, e tu também fazes parte dela...
beijinhos

Eu disse...

Como eu gostava de aceitar, tenho a certeza que seria mais feliz. Ainda não cheguei lá... Ainda caminho sobre picos.

 
Web Statistics