domingo, 23 de fevereiro de 2014

A CORAGEM DOS OUTROS!

No exato momento em que na passada semana, noticiavam que se até às 16 horas desse dia, os manifestantes numa praça da Ucrânia não dispersassem, seguiriam ordens do presidente para a policia os dispersar, senti como que de forma premonitória mas muito evidente, o cheiro da luta e da morte no ar...  Assim pensei, visualizando internamente, e assim aconteceu!
Foi depois com um sentimento indiscritível e uma mistura de vários pensamentos que a tudo assisti impávida mas não serenamente, através da minha televisão.
Retive de tudo o que vi - no conforto de um país de hipócritas (no qual me incluo) - a força que o carater e a união das pessoas ainda podem ter na mudança de um percurso da história. Retive as mortes que lamentavelmente costumam ficar como símbolos heroicos destas lutas e retive o que realmente querem dizer algumas pequenas palavras, como coragem, convicção, persistência, entrega, liberdade... Retive que não devia ser assim, mas que assim é!
Retive o melhor e o pior do ser humano... e retive que o mundo é tão grande, que é feito de tanta coisa, mas que para que determinados resultados se deem são e serão sempre as pessoas - as suas atitudes, ações e gestos - que fazem da vida aquilo que ela verdadeiramente é!
Talvez tenha passado ao lado (ou por cima, ou por baixo) de muitos de nós, mas não a quem seja sensível a causas...
Entretanto por este mundo fora, outras lutas com outras pessoas e outras causas, se vão impondo e resultando conforme as convicções, a coragem, a persistência e a força, que os seus intervenientes lhes entreguem.
Entretanto outras injustiças... mas também outras pessoas de coragem existirão sempre para mudar mesmo, o percurso das coisas. Ah quem me dera ser assim corajosa!

2 comentários:

Fê blue bird disse...

Amiga Atena, penso que a coragem vem com a união, e em Portugal falta-nos esse elo.
Falta-nos solidariedade , entrega e espírito colectivo.
Na praça da Ucrânia houve tudo isso.

beijinho



atena disse...

Falta-nos isso tudo... faltam-nos valores! Ainda tinha esperança no ensino, porque acredito que é na educação que se lançam as sementes, mas constatando a realidade, questiono-me muitas vezes, que sementes estamos agora a lançar? Bj grd

 
Web Statistics