sábado, 20 de novembro de 2010

CÀ DENTRO


Tenho andado sem tempo para nada e passam tantas coisas por mim que não consigo registar tudo o que vou sentindo e vivendo. Por vezes são apenas pormenores, pequenas coisas, pessoas que vou conhecendo, outras vidas que vou admirando, histórias que me fazem pensar, aprender... Tanta coisa que queria contar mas que vai ficando por dizer - "ajudas" que não posso dar, choros que não consigo calar, as dores de outros que não sei fazer parar!
A memória é um armazém imenso, quase infinito. É nela que vou guardando as experiências que me inspiram e me dão gosto partilhar, mas ultimamente os dias passam como uma corrente com milhares de histórias, que não consigo apanhar a tempo para organizar.
Ultimamente, as ideias não fluem, amontoam-se e ficam mal armazenadas. Surge então a necessidade de parar, sentar-me comigo mesma, beber um chá para conversar... Dizer-me que não posso correr mais que bola, não posso querer chegar a todas as balizas! Dizer-me que não devo sentir tanto, ouvir tudo, ver demasiado... Regular o meu botão da sensibilidade e olhar apenas para dentro.
(É que também há um mundo cá dentro que precisa ser alimentado).

11 comentários:

Rosa Carioca disse...

E acredito que o mais importante é arrumar a "nossa casa" primeiro, para nos sentirmos "confortáveis", para, depois, recebermos melhor quem chegar até nós.

Carmo disse...

Quando chegamos a esse estado de espirito é porque precisamos de ir buscar-nos, onde quer que seja que estejamos, pois já muita coisa coisa pusemos à nossa frente em primeiro e vamos ficando para trás, vai lá buscar-te sem um pingo de constrangimento e fica em primeiro novamente, senão em primeiro, paralelamente em primeiro. Só assim conseguirás o equilibrio para surfares até ao fim a gigantesca e surpreendente onda da tua vida. Senti que te devia escrever isto.

bjinho de admiração

Carmo

samnio disse...

Atena.
É sem dúvida uma grande escritora. Fico impressionado como consegue em tão poucas palavras, dizer tanta coisa, e com grande riqueza.
Escusado será dizer que gostei imenso deste seu texto.
Não sei se já lhe disse, mas, porventura está na altura da Atena romper do mundo dos blogs, para o mundo do papel, porque tem essa qualidade.
Um abraço Amigo.

Mina disse...

Obrigada, por de uma forma singela, mas muito genuína conseguires no fundo fazer eco também daquilo que sinto, e faço minhas as tua palavras e que nunca conseguiria deitar cá para fora desta forma...
Beijinhos cá de dentro:-)

Atena disse...

Queridos Amigos:

Rosa - Sem duvida que para "receber bem", deveriamos estar bem e ter uma "casa arrumada", mas é que por vezes, as pessoas entram-nos "em casa" sem avisar e não há tempo para organizar as coisas. Vai-se pondo "o lixo por baixo do tapete", porque sou incapaz de fechar "a porta a quem a ela bate"... Só que "o lixo" vai acumulando e a paragem torna-se obrigatória! Beijinho grande

Carmo - Como fico contente por te sentir por aqui... É bem verdade o que dizes, mas nem sempre consigo esse pragmatismo.
Grande beijinho de igual admiração e empatia

Samnio - Sinto as suas palavras de amizade, como um importante elogio... Importante porque para mim o Samnio é das pessoas que leio na blogosfera, que melhor expõe ideias, quer na sua estrutura, quer na expressão. Eu limito-me a divagar, a manifestar sentimentos que me são mais faceis através da escrita... Um livro, é algo que tenho em mente realizar. (já planteí uma àrvore e tenho um filho que vale por mil!)

Mina - Tenho mais facilidade de expressão escrevendo, do que falando... Nem sei bem porquê. O que sei é que há uma "lingua", que ambas falamos, que não precisa de muitas palavras. Presumo que a tua cabeça, seja tão cheia como a minha... tantas perguntas duvidas, receios, preocupações... Tanta sensibilidade ao que nos rodeia que é inevitável que não nos sentimos exaustos, de vez em quando! Beijinho Mina

silvia disse...

Adorei,identifico-me,sinto-me impotente...tão impotente que ás vezes tenho de desligar o botão e alienar-me.
Não sei bem se estamos em sintonia, mas tenho a certeza que estamos lado a lado.
É bom sentir alguém tão especial com tu ao meu lado.Não me sinto tão só.
A forma como nos descreves o que tens aí dentro a meu ver é absolutamente extraordinária.
Que sorte tenho em te ter como amiga!
Concordo plenamente com o Samnio,um livro não era nada má ideia, acho que já te tinha dito isto?
Beijinho

Atena disse...

Querida Silvia...Amiga com A maiúsculo - não pelo tempo, nem pelo nome, apenas pelos actos, pelas acções! Seria tudo tão mais dificil sem, ti... Tinha sido tudo muito mais impossivel sem ti - Estamos mesmo lado a lado, há já alguns anos. Estamos sem duvida em sintonia, e por vezes não são precisas muitas palavras... porque nem sempre há palavras que cheguem (e tu não gostas muito destas palavras, não é amiga?) Desculpa, mas tenho que as deixar aqui!
Que sorte temos em te ter como amiga... Eu, o Miguel e o VASCO!!! Que sorte e que felicidade! Quero sempre ser merecedora dessa tua amizade... sempre, sempre!
Beijinho grande e até breve

EC disse...

Contamos com a presença do autor deste blog!
um abraço
http://pontosdevista-ec.blogspot.com/2010/11/natal-dos-bloguistas_25.html

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Desde o início da semana que sinto o mesmo. Por isso e outras razões, relacionadas com o meu trabalho, vou abrandar a produção de posts até que passe...

Joaquim disse...

Ola Cristina. Esta brutal a tua forma de escrever. Amei os textos que li, e estou muito impressionado com a clareza e expressividade que trasmites. Ès demais, que sorte poder conhecer-te. Joaquim Ferreira

caminhante disse...

querida, é muito gratificante ajudar. mas há uma certa altura que temos que parar. parar faz bem. não é egoísmo. é necessidade. e, depois de uma pausa, ao caminhos, claro. mas sempre depois da pausa. porque se não estamos bem, que bem poderemos levar?

bom descanso...

 
Web Statistics