terça-feira, 25 de janeiro de 2011

"O VALOR DA PESSOA"


Uma outra visão, rigorosamente com as mesmas perguntas, que também faço tantas vezes.
De J. L. Piu Abreu, Médico, psiquiatra e escritor


"Quanto vale uma pessoa? Para Marx, vale o preço da sua subsistência. Para os juristas, vale o preço de um automóvel de gama média. Para os vendedores vale o dinheiro que tem. Para o marketing, vale a importância das identificações que promove. Algumas pessoas têm um preço negativo para os familiares, que pagam para que as levem - Estas são geralmente mais velhas, porque, quanto às mais novas, mesmo que dêem trabalho, eles pagam para as adquirirem.
Que me desculpem estas contas apressadas, mas preciso de uma resposta. O problema é que trabalho com pessoas, mas as decisões que tenho de tomar têm a ver com rendimentos, valores, produto interno bruto, défice e outras contabilidades. São os economistas que me obrigam a isso e parece que eles valem mais do que as outras pessoas. Não o contesto, mas respondam então à minha pergunta.
Já sei que me vão atirar com a qualidade do produto e que me vão explicar que as pessoas - sobretudo as que valem mais, como os jogadores de futebol e eles próprios - também se compram, vendem e até se traficam. Têm um valor de mercado. Mas então, como vou medir o valor da pessoa que tenho á minha frente?
Se não me responderem, armo-me em terrorista e uso a bomba económica que Hipócrates me ensinou: a pessoa que tenho à minha frente vale mais do que tudo o resto."

8 comentários:

elvira disse...

Olá Cristina.
Que poderei eu dizer sobre isto??'
Cada um tem o seu potencial que não sei qual o valor na bolsa, por mim não quero mesmo saber. Triste este valor de mercado. Para mim cada um tem um valor incalculável, como diz a Cristina vale mais que tudo.

Atena disse...

Querida Elvira,
Quando me depareí com a leitura deste texto, senti aquilo que muitos chamam de "murro no estomago" e decidi posta-lo aqui, em jeito de reflexão... Para mim as pessoas não deveriam ter preço, mas cada vez mais constato que o têm!
Continuareí por certo a pensar da mesma forma - mas por vezes a vida faz-me sentir tão naif...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Deixe-me só acrecentar um outro elemento à questão que aqui coloca: e quanto valem as pessoas que se vendem?

Mina disse...

De dificíl disgestão, este texto, principalmente, porque se trata de uma "realidade" que eu abomino...
Deve ser o meu lado "Aspie", para mim vale tanto a senhora da limpeza como o senhor presidente da República...
bjinhos

Anónimo disse...

CRISTINA
UM SER HUMANO NÃO TEM VALOR ECONÓMICO,TEM O VALOR DO CORAÇÃO QUE TEM.
QUAL O VALOR QUE EU TENHO PARA TI???
DIFICIL A RESPOSTA?
PARA MIM TU TENS UM VALOR DE TODOS OS DIAS PENSAR NA MARAVILHOSA FAMILIA QUE CONHECI E QUE AGORA ESTÁ TÃO AFASTADA.
ÉS UMA PESSOA IMPORTANTE QUE PASSOU PELA MINHA VIDA,GOSTAVA QUE CONTINUASSES A FAZER PARTE DELA.
TUDO DE BOM PARA TODA A FAMILIA.
O VASCO DEVE ESTAR UM BORRACHO
ISABEL SANTOS

silvia disse...

Cada um vale os actos que comete.

Carmo disse...

Atena

Atrevo-me a valorizar as pessoas pelo seu 'espirito', pela vivência das suas 'almas', mesmo muitas vezes sendo dificil de lá chegar ao 'eu' delas mesmas, sentindo as vibrações que delas ecoam, vou avaliando e valorizando consoante o que vou sentido sobre elas (energeticamente falando).

Monetariamente..., pois..., não é por aí, que me despertam a atenção, nunca foi.

Mas que há muitos rotulos, por aí, há, apesar de achar que somos nós que alimentamos essas situações.

Bjinho
Carmo

Fê-blue bird disse...

Minha querida amiga:
Um pergunta pertinente num mundo tão materialista.
Acho que aqueles que amamos não têm preço, mas os outros, os estranhos, ou pior aqueles que não gostamos, terão preço?
Este é um tema que daria uma reflexão e uma discussão bastante interessante.
Só sei é que há pessoas que se vendem, portanto tem que haver quem as compre.
Gosto de a ver de novo no "activo" por aqui ;-)senti a sua falta.

beijinhos

 
Web Statistics