terça-feira, 20 de outubro de 2009

OUTRAS VIDAS II - O HOMEM


Já tinha tido a oportunidade de "maravilhar-me" ao ouvir as Nobres palavras daquele que considero ser Um grande Homem da nossa actualidade - Fernando Nobre, Presidente da AMI Portugal... um excepcional Homem Português... Um Homem do Mundo! Ontem mais uma vez tive a oportunidade de aprender com as suas palavras...
No programa Prós e Contras, discutia-se o futuro de Portugal. Presentes estavam algumas figuras que embora independentes representavam determinados grupos da nossa sociedade com responsabilidades no futuro. A banca, Os empresários, A justiça, A Educação, A Politica e O HOMEM Forte da AMI Portugal. Abordavam-se as dificuldades nas distintas àreas da sociedade actual... eis senão quando, na vez de Fernando Nobre falar, tudo se distinguíu do anteriormente dito - pelo menos para mim! Começou por dizer que existe muita pobreza em Portugal, dando um pequeno exemplo: aquando do seu pequeno almoço, num café de Lisboa, observa um idoso (aproximadamente 80 anos), que arrastando-se diáriamente, entrega ao balcão uma caixa contendo salgados... recebe pelo "serviço" 4,50 euros... Fernando Nobre diz que sente este episódio como um murro no estomago. Prossegue uns minutos à frente, dizendo que ele e os que estão na sala tiveram a sorte de ter oportunidades por isso estão hoje ali com boas condições de vida, mas que esta é apenas a realidade de uma elite que não deve passar à margem de vidas diferentes; continuando, e à "desculpa" com a crise, que muitos dão, para existir um salário minimo nacional de 450 euros, pergunta como é que à luz dessa mesma crise existem salários exageradamente maiores e a disparidade entre vencimentos é obscena no nosso país, com um brutal crescimento na construção de condominios de luxo, que separa as realidades por "muros de betão", provavelmente insustentáveis no tempo, indicadores de uma sociedade pouco pacífica e evoluída... Diz ainda que se não quizesse ver esta realidade não era dificil, vivendo na linha do Estoril, circularia sempre pela estrada da marginal ficando assim, facilmente longe de toda a miséria que realmente existe.

Sempre num tom cordial, amigo, e profundamente humano, este GRANDE HOMEM fala da pobreza dos outros com uma dor sentida que trespassa o monitor da televisão, e a mim, sinceramente e por momentos, crava-se-me nas costas como um punhal...
Admiro-o muitíssimo e nem sequer me saiem as palavras correctas para descrever o que acho do seu envolvimento noutras vidas... da sua entrega a uma causa que nem sequer sentiu na pele... Admiro-o muitíssimo e sinto-me de novo pequena e insignificante numa sociedade que precisava da mão de todos.
Quando me sentir triste e desmotivada com a humanidade ou com a vida, procurareí lembrar-me sempre de si, Senhor Fernando Nobre!

4 comentários:

Sandra disse...

De facto um grande Homem, o Fernando Nobre. Penso que deve conhecer o blog dele (www.fernandonobre.blogs.sapo.pt). Um blog contra a indiferença: contra a indiferença e a intolerância, as duas doenças mais graves do mundo, entre outras, acrescento eu. Duas palavras tantas vezes esquecidas por quem tem poder no nosso país.

Um destes dias fui a um médico de cirurgia vascular, que a propósito de uma consulta que eu tinha feito com um colega dele, me disse: "actualmente, a medicina é um negócio". Para mim não é só a medicina, perderam-se tantos valores, perdeu-se o espírito de missão.

Por isso, ao Dr. Fernando Nobre, só temos que dizer "bem haja por tudo aquilo que faz".
Não sei se é católica, mas a mim tocou-me especialmente um post dele, de Dezembro de 2008, "Carta a Deus". Imagino que o terá escrito num momento de desalento e de angústia. Também ele deve ter destes momentos. De qualquer forma não tenho dúvidas de que ele irá continuar "a subir a sua montanha"...

Há um livro dele "Histórias que contei aos meus filhos", com ilustrações mt apelativas e mt simples, que ensina valores mt importantes. Sem dúvida um livro para folhearmos e lermos aos nossos miúdos.

silvia disse...

Dr.Fernando Nobre,muito nobre sem dúvida.Tocam-nos as suas palavras verdadeiras e duras de escutar,palavras que retratam bem a sociedade que nos rodeia.Admiramos e idolatramos o seu trabalho...comentamos e trocamos ideias.

Na realidade há quem fique indiferente ao que se passa á sua volta.E nós?...É verdade que somos bons.É verdade que sentimos mas o que fazemos?
Temos plena consciência do que nos rodeia,sentimos que poderiamos fazer mais...Mas estagnamos,não nos mexemos,recusamo-nos a desviar um cêntimetro que seja do nosso caminho,vivemos o nosso dia a dia sem olhar para o lado,andamos demasiado ocupados.De vez em quando lá acordamos,mas depois depressa adormecemos outra vez.

Ontem em conversa com o meu filho de sete anos,perguntei-"Como correu a escola"?
Ao que ele prontamente respondeu-"Bem! A professora de inglês perguntou-nos"-"Se Deus viesse à terra o que é que vocês pediam?"
Curiosa quis saber o que ele respondera.Disse-me que pedira para não ter trabalhos de casa nem ter de ir á escola. -E osteus colegas?
-"Então mãe uma pediu para ser rica,outro queria todas as play stacion que existem,outra queria ganhar o euromilhões"...E por ai fora!
Perguntei-lhe "-Algum menino pediu que todas as crianças do mundo tivessem comida,ou que todos os meninos tivessem pelo menos um brinquedo no Natal,ou que não existissem pobres no mundo????"
Ao que ele respondeu !"-Não mãe ninguém pediu isso."
Senti-me depois muito mal pois não tenho o direito de querer que o meu filho tão pequeno sinta a realidade da mesma forma que eu, mas se nunca lhe falar assim quem é que estou a criar?Tento passar-lhe valores,mas nesta sociedade onde anda cada um por si não me parece que vá ser fácil.

Atena disse...

Olá amiga Sandra... è bom ver que passeia por aqui. Obrigada.
Sobre este "anjo de homem" que é Fernando Nobre, eu já conhecia de outras épocas e tenho-o no meu blog como blog que sigo, precisamente porque o admiro demais. Fui ler o texto dele sobre Deus, que a Sandra me indicou (não o tinha visto ainda) e fico abismada e muito sensibilizada. Este senhor tem um dom especial, e eu sinto-o no mais intimo do meu ser ao ouvi-lo, ao lê-lo... mas nesta carta a Deus fiqueí de quatro porque diz muito em poucas palavras... põe-nos a pensar, a chorar... a sentir... Ainda bem que há gente assim!!!
Beijo grande

Atena disse...

Querida Silvia, tu és um ser humano excepcional... Por isso discordo quando dizes que nada fazes. Não é verdade que estagnas, que não te mexes, que não te desvias um bocadinho do teu caminho, que vives o teu dia-a-dia sem olhar para o lado... Não é verdade amiga! Por exemplo, Lembras-te quem foi, desde sempre, a unica mãe que me deu a mão? Quem foi a unica mãe, no meio de tantas, que olhou para os lados? Quem é a única mãe que me convida a ir a sua casa, mesmo sem festas de aniversário, apenas para conviver, para tb os nossos filhos conviverem? Quem é a pessoa que discretamente tb sofre comigo desde que nos conhecemos? Amiga isso é fazer muito... para nós tem sido muito. Não te agradeço porque estas coisas vêm do coração... dos corações mais Nobres e excepcionais... como tu. Depois a vida corre muito rápido e com muitas exigencias e nem sempre chegamos para tudo. Mas se cada um de nós chegasse só um bocadinho, o mundo poderia ser melhor. A bondade e a solidariedade dão-se conforme se pode no momento... Fernando Nobre tem como caminho ajudar daquela forma... outras pessoas - simples mas igualmete nobres, dão a mão como podem e o importante mesmo é o acto de estender a mão e compreender as necessidades (por vezes simples) dos outros. Ainda bem que há pessoas assim!
P.S.: Nunca desistas de transmitir os teus valores ao teu filho.

 
Web Statistics