quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Carrocel de Emoções


Tenho uma certa mania de descrever sempre as coisas por que vou passando, e tentar que as palavras contenham a carga emocional, que sinto em determinadas situações da vida.
Talvez seja a melhor forma que encontro para ir "exorcisando" as emoções que persistem em me invadir - "enchendo-me" em demasia - por uma exacerbada sensibilidade minha, (ou por "mariquice").
O reverso da medalha desta "mariquice", é que vivo as coisas muito intensamente, por vezes até à exaustão - as minhas e as dos outros, e muitas vezes o meu estado de alma, mais se parece com uma gigantesca montanha russa, que embora segura e bem controlada, oscila dos zero aos 360 graus, em menos de um minuto! Muitas vezes basta-me uma imagem, um sofrimento alheio, uma palavra mais dura, um pensamento, uma preocupação... e lá vem o carrocel das emoções para me levar em mais uma voltinha.

Mas, isto de recorrer-me da escrita para exorcisar sentimentos, não é mais que pura teimosia, porque apesar de adorar escrever, já devia ter aceite há muito, que essa é uma missão impossivel... Existem sensações que não cabem nas palavras, por muito que nos queiramos expressar dessa forma. Talvez os poetas - e não todos - o consigam fazer melhor... No entanto, vou prosseguindo com esta mania que me faz sentir bem, mesmo que chegue ao fim do ultimo parágrafo, sempre com a mesma sensação de insuficiente...
POR EXEMPLO:
Ontem - "apenas" um resultado negativo num simples exame mamográfico de rotina, me emocionou até à alma, fazendo-me sentir grata por estar aqui, por ter chegado pelo menos até ao dia de hoje, sem essa luta do cancro da mama. E como vivo um dia de cada vez, neste, senti-me muito feliz!
Enquanto esperava, apertava-se-me o coração, imaginando que daquela sala de exames saiem muitas vezes, notícias que mudam tudo numa vida... Sei que as coisas não acontecem só aos outros - não que eu seja das mais distraídas neste aspecto, mas na pele as coisas queimam sempre muito mais! Penseí em mim, nos outros... pedi que o resultado fosse negativo para todas as mulheres que estavam naquela sala... e se possivel para todas no mundo!

Hoje - "apenas" a cara de um pai - concretamente o seu olhar amigo, compreensivo e solidário - ainda que meio perdido nestas coisas do Autismo,(por certo, seu grande desconhecido)... apenas a sua expressão de: eu quero ajudar... a sua frase: "quero que o meu filho contacte com o seu, porque são valores que acho positivo incutir às crianças"... o seu coração aberto, emocionou-me de tal forma, que penseí não suportar... Consegui engolir um choro de alegria e agradecimento que teimava em me vencer, desviando os meus olhos dos dele para não ver a sua mão humildemente esticada, o seu brilho num olhar fraterno e meio emocionado, e penseí que se todos os pais fossem assim, seria tudo tão mais fácil!
Se todos os pais de crianças sem necessidades especiais - tal como num diagnóstico de cancro negativo - soubessem agradecer a Deus essa dávida até ao presente dia (o amanhã ninguém sabe), e dar a mão a quem tem outro resultado que embora não represente o fim de nada, significa sem duvida uma grande luta mas que nos transforma em pessoas bem melhores e que pode ser ultrapassada com o apoio de todos, o mundo evoluiría!
Como muito bem quis expressar-me este pai, a integração de crianças diferentes nas escolas, só pode ter muito a ensinar a todos.

Os valores de humanísmo como: a solidariedade, a valorização da vida, o respeito por todos, o altruísmo - estes não vêm nos livros, estes valores os pais não conseguem expressar totalmente nem pela escrita, nem por palavras... aprendem-se por acções positivas que possam transmitir, e aprendem-se também, no dia a dia com estes meninos especiais... E tenho a certeza do que digo, porque em nenhuma outra parte do mundo eu teria aprendido tanto da vida como com este meu anjinho lindo que tem como diagnostico: um nome pesado e lamentávelmente ainda muito desconhecido chamado Autismo, mas que com a sua própria força e o apoio de pessoas excelentes, vai evoluindo e desmistificando a palavra.

E a Ti - querida amiga especial - que foste o motor desta batalha, pelo meu filho e por todos aqueles que possam vir no futuro - desejo o melhor do mundo... Continuo sem palavras para te expressar a minha gratidão ao teu gesto, ao teu empenho gratuito, apenas pela vontade de fazer bem, apenas por seres uma das tais excelentes pessoas... a ti aquele abraço forte! (Tu sabes do que falo e sabes que me refiro a ti).

3 comentários:

*Lisa_B* disse...

Querida amiga,
emocionada fiquei eu também porque pais como esse não existem muitos infelizmente o meu filho não conheceu um único assim.
Beijinhos e que consigamos aos poucos ir mudando tudo isso.

*Lisa_B* disse...

Pela iniciativa ele merecia ser o Pai do Ano !

ParadoXos disse...

forte abraço


:-)

 
Web Statistics