quarta-feira, 28 de abril de 2010

A FORÇA DAS PALAVRAS II (OUTRAS PALAVRAS)


Não se dá, normalmente às palavras, o peso que elas efectivamente têm... Nem sempre intuímos aquilo que podem provocar nos outros. Mas elas pesam, ecoam e fazem a diferença entre o "céu" e o "inferno" dos nossos pensamentos - (felizmente, temporáriamente)!
OUTRAS PALAVRAS QUE REGISTEÍ E JAZEM NO ARQUIVO MORTO:
- Afinal o que é que ele tem?
- Temos que pensar numa solução porque os outros pais fazem reclamações...
- O seu filho frequenta este espaço porque a gente quer...
- Muitos pais estão contra que o seu filho e os outros venham para aqui...
- Coitados de vocês...
- Ele é deficiente...
- O que vos aconteceu, foi uma fatalidade.

7 comentários:

caminhante disse...

há coisas que me fazem comichão... essa do "deficiente" e do "coitados"...

não sei se conhece a mafalda. um dia, também lhe chamaram coitadinha. e ela, respondeu-lhes como todas as letras, que coitadinhas, eram elas.

coitadinhas, porque o essencial está dentro de cada um.

(http://gotanocharco.bloguepessoal.com/)

arquivo morto é arquivo esquecido...


uma joca

Mina disse...

A palavra , seja ela qual for, saiba bem ou mal é sempre importante, e mesmo estas que nos fazem doer. Dão-nos mais força para contrariar quem as emite. E a forma como nós a recebemos, pode fazer diferença, depois da revolta e da mágoa que nos deixa. Partimos p'ra luta.
E até te posso aqui contar um episódio passado connosco, a professora do 2º. ano, achou por bem rejeitar o Bruno, fazer dele o elemento negro da turma propondo a saída dele como fez com outro miúdo, levando-me ás lágrimas o que é facíl xD, dizia-me que tinha trabalhado com crianças invisuais.
Parece-me que para ela o Bruno terá sido uma pedra no sapato. Acredita que só me fortaleceu e tive de devolver na mesma moeda se ela achava que era a criança que estava mal?!... Senão seria ela a ter de repensar a carreira. Na carreira docente, não se encontra só meninos bem comportados, e ele não era mal comportado era apenas diferente.
E por mais que eu gostasse de ter o meu filho numa redoma de vidro, era na escola que ele iria andar.
Ela não o castigava mas ignorava.
Deve ter repensado a carreira xD, e no ano seguinte, já lá não estava, possívelmente estava precisar de reforma ihihihih
Para compensar no ano seguinte teve a melhor professora o oposto desta.
Bjocas

silvia disse...

Quem disse tais coisas não tem CORAÇÂO!

silvia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Homesick Green Alien disse...

Triste ignorância...

Marlene disse...

Humm... como eu te compreendo!
Tenho uma irmã com Trissomia 21 (agora com 19 anos). Quando tinha 8 anos teve um acidente e ficou tetraplegica... Na altura eu tinha uns 14 anos... lembro-me perfeitamente do dia em que uma vizinha minha perguntou por ela e eu disse que não estava muito bem, ainda se encontrava em coma. Então ela diz: "Oh coitadinha! Antes Deus a levasse... Já não basta ser deficiente da cabeça, ainda ficou deficiente do corpo." :(
Enfim... essas palavras ficaram gravadas na minha memória... fiquei sem reacção! Muitas pessoas, antes de falar, deviam ter consciência que as palavras ditas fazem doer!

Gostei muito do blogue...
Fiquei fã!

Beijinhos para o Vasco também*
:)

Marlene

Rosa Carioca disse...

As palavras têm peso. Se as pessoas antes de falarem uma asneira, pensassem se gostariam de ouvi-la... com certeza, fechariam a boca.

 
Web Statistics