terça-feira, 6 de abril de 2010

O TEMPO É UM MESTRE


Tenho andado um pouco mais afastada que o costume... Falta de tempo apenas.
Aproveitando a páscoa, fizemos uma "retirada espiritual", e rumamos para terras mais a norte.
Outras vidas (com menos net), e como costumo dizer, todas as vivências nos enrriquecem. Assim, sabe-me sempre bem uma boa mudança de ares, especialmente quando tenho os meus 2 tesouros perto de mim.
Visitamos os avós que ficam sempre radiantes com o Vasco.
Como devido à distancia, não nos vemos com frequencia, sempre que o vêem encontram-lhe tremendos desenvolvimentos, e nós concordamos porque felizmente são verdadeiros, mas eu particularmente receio um pouco expectativas demasiado elevadas, como por exemplo esperar pela total "normalidade" no futuro. No entanto, e como o futuro não nos pertence, mantenho-me no silêncio dos meus pensamentos, travando em mim divagações daquilo que podemos esperar sobre o futuro do nosso menino, que eu própria pouco sei. Duas coisas sei em concreto: o seu nome é Autismo e de momento não tem cura, (nem se prevê que venha a ter a curto prazo). Por certo, o tempo falar-lhes-á mais alto e mais acertadamente do que eu... Ficam-me, no entanto, a bater na cabeça, algumas frases reveladores das expectativas existentes, que estranhamente me agradam por breves instantes, mas que na realidade, bastante me preocupam. Não tereí nunca coragem de lhes explicar o que é exactamente Autismo, embora já lhes tivesse revelado o nome (que pouco lhes disse)... Não tereí nunca coragem para lhes dizer aquilo que já ouvi, que já li tantas vezes dos especialistas na matéria... No fundo acho que fujo de que alguma vez sintam a dor que senti inicialmente e que ma demonstrem, porque há muito que passeí essa fase e não a quero reviver através da dor dos outros. Apesar de compreender, vejo como profundamente errada a nossa dor inicial - aceitar não é sofrer.
Guardo-me, por isso, no meu silencio e prossigo no "retiro espiritual"! Saboreio-o... sabe bem sair para beber um café e passear, sabendo que o meu menino está bem e feliz se o deixar com os avós. É estranho viver rodeada pela esperança dos outros em que aquilo que o Vasco tem é simples e passará com o tempo... É estranho porque não é nada disso que povoa agora os meus pensamentos, nem o meu dia a dia, mas talvez seja melhor que as coisas sejam encaradas por eles assim! Quem sabe com o tempo.... O tempo - aquele que lentamente vai dizer-lhes aquilo que eu por agora silencio.
Ainda bem, porque eu não saberia fazer melhor. Ainda bem que será o tempo o mensageiro, porque quem sabe o tempo continue também a trazer sempre com ele os grandes desenvolvimentos que tem trazido até aqui... Ainda bem porque o tempo irá fazer por certo com eles o mesmo que me fez a mim, iluminando-me, enrriquecendo-me, fazendo-me sentir orgulhosa do meu menino como ele é, dando-me a noção de que o "tempo" mais importante é o agora e que é a esse que nos devemos agarrar e viver.

13 comentários:

Mina disse...

Querida Cristina
Fiquei um pouco "embrulhada" nas suas palavras, e como já vamos privando por aqui algum tempo. Além da minha forma ás vezes humorada de levar o autismo,também tenho a meu lado muito racional nesse o tempo ,a esta altura do "campeonato", já não confio tanto na mudança que o tempo possa trazer no meu caso pessoal como é evidente. Não quer com isso dizer que fique parada nele, mas já me dou por feliz quando sentir que alguém cuidará tão bem do meu filho quanto eu, e o orientará na vida, isto quando eu for visitar os anjinhos daqui a muitos muitos anos rssss.
Por isso agora há que aproveitar o tempo presente consciente...
No entanto acredito que o percurso dos mais novos, com tanta ferramenta que já vai havendo beneficiará muito, aí o tempo pode de facto ajudar...
bjocas

Fê-blue bird disse...

Amiga;
Estive também ausente, porque a Páscoa é isso mesmo o convívio com a família que a vida distancia.
Há segredos só nossos, dúvidas só nossas que a minha experiência ensinou a não partilhar.
Primeiro porque os outros nunca atingirão o que sentimos, segundo porque, como bem disse, revemos e sofremos de cada vez que os partilhamos.
Um dia de cada vez! Tem que ser sempre o lema da nossa vida.
Um beijinho
Fernanda

Mel disse...

No período da Páscoa, também estive com a familia que, alguma, já não vendo o meu filho mais novo há algum tempo, também vieram com o entusiasmo dos progressos feitos: "Não se nota nada", "este menino está optimo!", " que diferença!", etc, etc.
Eu estou como você, oiço, sorrio, não desenvolvo muito mais, agradeço e pronto, fica assim.
É claro que os progressos são imensos, mas também noto as diferenças e estas existem, basta entrar na sala do meu filho e compara-lo com os meninos da mesma idade. Mas, neste momento, já não quero estar sempre a lembrar isso...Deixo os outros embarcar nessa perspectiva, porque acho que assim o meu filho terá um tratamento o mais normal possivel, o que só lhe faz bem. O resto, é um dia de cada vez...
beijinhos a todos.
Maria Anjos

Helena Sabino disse...

Olá Cristina,

Também oiço muitas vezes que aquilo que o João tem é simples e que passará com o tempo. Estou consciente que isso não é assim...sei que poderá fazer progressos e evoluir,mas não me refugio em curas milagrosas,espirituais,etc... Dizem que sou demasiadamente realista e pés na terra, criticando a forma como lido com o autismo. Sempre fui pragmática e sempre "joguei" com aquilo que tinha. É claro que tenho uma postura dinâmica e pro-activa,não me limitando e conformando com o que tenho. Cada dia é unico e especial,tal como o meu joão. Bjs

rosa disse...

mana nestes ultimos 5 anos o vasco deu um pulo que tu não imaginavas nem em sonhos, deixa que, ele lê,escreve que duvidas teras tu que ele tambem tem lutado e tem conseguido,superar tantas barreiras bem dificeis,ele e um guerreiro e vai continuar a melhoral, tanho a certeza,nas mentalidades da sociadade e que duvido muito, Beijos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Vai conseguir , sim!

Sandra disse...

Bom dia Cristina... acho que fazes bem em não explicar aos avós a palavra "autismo"... para quê fazê-los passar por um processo que vcs já tão bem conhecem... os avós amam o Vasco incondicionalmente... estão bem com ele e ele com os avós... é o seu menino do coração... veriam sempre melhoras mesmo que elas não existissem que não é o caso... e o TEMPO tmb vai ser aliado na evolução do Vasquinho... já tens provas disso.

Um beijinho grd

caminhante disse...

É tão bom ter um refúgio. Poderes fugir para lá sempre que podes... levares o teu tesouro e ter pessoas lindas que o compreendem, que o amam... isso é bom, mesmo bom, minha querida Cristina...

Deixa-me dizer-te uma coisa: se existe algo que eu aprendi nesta vida é que não há "para sempre", "incurável" e que o tempo é, na realidade, um amigo.

Pelo que escreves, o teu menino tem progredido imenso.. quem te garante que isso não vai continuar a acontecer? Os médicos? A ciência? Vou contar-te um segredo: eles não sabem nada de nada...

Um beijinho grande para ti, mãe e para o filhote, e para os avós, e para a tia... que delicia de família :)

Susana

nedav disse...

Felicito o regresso...já tinhamos saudades:)

Palavras tocantes...Uma coisa é certa a sua Família estará sempre unida...isso é o mais importante e vencera todos os obstáculos que possam surgir...

Abraço

silvia disse...

Nunca digas nunca...
Está provado que o amor faz verdadeiros milagres.
BEIJINHOS

Anónimo disse...

Olá Cristina...Hj tive a sorte de ao ser curiosa,investigar...conhecer um pouco de si,e que por sinal me faz compreender um pouco da vida. Gostei da sua mensagem, da sua "luta" constante!
Simplesmente, gostaria de dizer-lhe que eu acredito que o tempo pode curar muita coisa, e temos que ter a coragem de sobreviver... nesses minutos, nessas horas, que nos apertam e que nem sempre são fáceis...mas acabam por passar.
O amor e a dedicação são sentimentos sublimes!
Deixo igualmente um grande beijinho para si e para o Vasco e todos os que vos rodeiam.

Manela

samnio disse...

Fez muito bem em deixar a rotina do quotidiano e como diz fazer "uma retirada espiritual". Todos de vez em quando deviamos ser obrigados a fazê-lo e talvez o mundo fosse diferente.
Quanto ao resto com a sua FORÇA, nada há a temer e, como diz e bem o "tempo é mestre."
e, não esqueça, avô ou avó, pela experiência que tenho é igual a AMOR.
Não se preocupe.
um Abraço.

*Lisa_B* disse...

Olá querida Cris,

o Vasco vai melhorar sim :-) fé e força e muito trabalho sempre...como têm feito e estão no caminho do sucesso.
Tenho a alertar para uma coisa: cuidado com as vacinas que se administram em Portugal! Vigiem os níveis de mercúrio que as mesmas possam conter ou alumínio...peçam ou informem-se antes sobre isso...conselho apenas de amiga ok?
Em breve colocarei um post sobre isto.

Beijinhos com carinho

 
Web Statistics