quinta-feira, 27 de maio de 2010

CENSURADOS


Os olhos também falam e podiam tantas vezes estar calados. Além de fazerem bastante melhor figura, ferem os que por eles se sentem inutil e estupidamente julgados.
Já não lhes dou ouvidos como antigamente, mas ainda me questiono sobre a ignorância que sem pingo de vergonha, se continua pavoneando por aí. Olhares que se julgam sábios, conhecedores... de quem já sabe tudo e pretende com a sua douta sabedoria punir quem foge à etiqueta do normal, apenas com um olhar cheio de censura que tão fácilmente nos arremessam.
Os olhos também falam... basta sairmos à rua e levarmos os nossos filhos Autistas, para ensurdecermos com as vozes acusadoras!

Recordo-me que de inicio não imaginava tal insensibilidade e pasmeí por passar a conhece-la. Recordo porque quem assim não julga, não pensa que possa vir, a ser assim julgado.
Mas o tempo trás consigo a clareza das coisas e ajuda-nos a relativizar estas atitudes, e até a compreende-las...
Compreendo que os comportamentos excentricos podem causar repulsa, naqueles que não os entendem imediatamente como sinais de eventual perturbação, e que por isso os enquadram automaticamente na esfera da falta de educação. (Ainda assim, acredito que os espírito mais humildes e atentos, reflectem primeiro, e já não acusam depois).
Compreendo, que não se relacione a perfeição fisica e fisionómica, tantas vezes acima do vulgar, com uma perturbação como o Autismo - São concepções erradas que se vão enraizando nas sociedades e que teimam em impôr-se como verdades.
São estas concepções que é urgente mudar, e é para mudá-las que também ando aqui, me sinto viva, me sinto forte e com um grande objectivo - eu e muitos mais no mesmo caminho! Talvez um dia nos cansemos porque não conseguiremos nunca mudar o mundo, mas alguma coisa mudaremos, porque olhando para trás, verifico com felicidade que tanta coisa importante mudou já.

10 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Apesar de tudo, penso que os portugueses evoluíram um bocadinho e o comportamento de muitos já revela alguma mentalidade mais europeia e civilizada.

Mina disse...

Minha amiga, olhares leva-os o vento...
Nem sempre os olhares serão julgadores,simplesmente não é facíl para quem está de fora perceber onde existe a diferença ou a má educação, que também há.
E felizmente os os nossos rapazes não tem nem teriam de ter escrito na testa "diferente"...
Aos poucos muito poucos irão conseguir separar o trigo do joio.
Paulatinamente, chegaremos á meta e os que comigo e contigo se cruzaram ou cruzarão vão ficar mais ricos , mas nem sempre consiguiram distinguir, tal como eu ainda hoje não consigo distinguir em todos os casos.
Por isso se censurarem, deixa-os censurar, não nos pesa a consciência...
Já estou a testamentar,
Vá bjocas

cristina disse...

Juntos vamos conseguir!!

bjinhos

Rosa Carioca disse...

Não é fácil mudar o mundo. Não é fácil mudar a humanidade... Quanto aos olhares... Olhe para aquele que realmente interessa: o de seu filho.

EC disse...

Olá Cristina
Tem um prémio que muito prazer me dá partilhar em:
http://pontosdevista-ec.blogspot.com/
Um abraço

nedav disse...

Cristina, esses olhares realmente magoam muito...Mas vocês são bem mais fortes...Juntos vamos conseguir, assim "mãos à obra" e vamos mudar mentalidades...Sozinhos podemos não conseguir mudar o mundo, mas iremos começar a mudá-lo porque a nós muitos se juntarão...

Grande abraço

PS: Atribui-lhe um prémio no meu blog, pela determinação, coragem e pelo excelente ser humano que é...

samnio disse...

Sabe, Atena, nós em Portugal, não sei como é no resto do Mundo, cedemos facilmente, àquilo que os media nos induzem. Dão-nos publicidade e telenovelas, com gente bonita e elegante, vendem-nos revistas com vidas perfeitas, e nós assimilamos e gostamos, só que a realidade não é essa, é outra, e, depois não sabemos como nos comportar. Não sabemos qual é a essência do Ser Humano, não sabemos valorizar o sua dimensão mental e espiritual, julgamos tudo pela superficialidade.
Se uma pessoa é pobre , não interessa, não tem valor porque é pobre, se é feia, a mesma coisa, se tem um problema, idem.
Quando depois, todos nós somos imperfeitos.
Como sabe, embora não a conhecendo tenho uma grande admiração pela sua determinação, garra e atitude, portanto sei perfeitamente, que consegue ter a força e a atitude correcta para lidar com a indeferença seja de quem for.

Dulce Bregas disse...

Pois eu também sinto os tais "olhares",e quando assim dá jeito,respondo á letra.Sem papas na língua ora essa.Engolir?Para mais tarde me fazer mal recordar?Nem pensar...Sou muito franca,tenho o coração na boca,mas não me puxem pela língua.
A sorte,no meu caso é que desde o início abri o jogo,mas lá está se vamos a sítio novo,e a ignorãncia abunda,porque abunda...experimento de novo o sabor amargo dos olhares recriminatórios.Sinto pena,que se formem Doutores,e em nenhuma disciplina se foque o tema autismo,deparamo-nos com uma classe médica ignorante também.Mas como cada vez há mais casos como os nossos,a problemática vai sendo tema de conversa por aqui e por ali.
Todos juntos temos a árdua tarefa de educar Portugal,porque os nossos meninos merecem um País melhor!
Beijinhos!

Fê-blue bird disse...

Amiga:
É dessa sua força e determinação que tem que se alimentar sempre!
Aqui neste seu espaço, já conseguiu ( por mim falo) com que muita gente começasse a se interessar pelo autismo e pela diferença.
É assim que tudo começa, um passo de cada vez, uma conquista seguida de outra.
O amor lindo (nunca me canso de o repetir) que tem pelo seu filho, alimenta-a e fortalece-a todos os dias!
Em frente!
Um beijinho grande aos dois

caminhante disse...

o que são simples olhares ao lado do verdadeiro Amor que sente pelo seu filho? o Amor vence tudo... nada mais importa. nada mais importa. mesmo.

beijonhos ao vasquito e à mami :)

 
Web Statistics