sexta-feira, 2 de setembro de 2011

CONTENÇÃO E AS CIRCUNSTÂNCIAS DA VIDA


Por muito que tenha ouvido falar de crise, realmente não me lembro de uma como esta. Desta vez, fala-se, vê-se e sente-se!
Lamento imenso o estado a que chegamos, e entendo que o mal é praticamente geral e mundial, apesar de ter razões bastante óbvias na sua origem. Abstenho-me de falar delas porque para mim se prendem com modelos de governação, politicas e afins que já não há pachorra para discutir! Além disso a história comprova a existência de épocas mais ou menos cíclicas de crise, mas confesso que estava longe de viver uma como a que ocorre actualmente. Penso que grande parte das pessoas, não tem ainda a real percepção de como isso pode vir a afectar tudo. Muitos porque só sentem as coisas quando elas se fazem sentir na própria pele, outros porque andam um bocado à margem das informações que vão saíndo.
De qualquer forma, acho que chegamos a um ponto em que se impõe uma imensa mudança no estilo de muitas formas de vida e quando as mudanças acontecem por força de circunstâncias, o impacto é sempre dolorosamente sentido.
Nestas alturas é comum ouvir as mais variadas explicações para os acontecimentos, mas recentemente ouvi uma, que nem sei bem como denominar e que me parece no mínimo, bizarra:
Dizia um senhor, (que por acaso tem formação superior na àrea económico-financeira), que tudo isto está escrito na bíblia... que estes tempos de injustiças, ganância, fome, tempestades, etç., são um claro sinal de que estamos perto do fim! Exemplificou-me inclusivé - para que eu não ficasse com duvidas - que este crescendo de casos de crianças com deficiencias, por exemplo - se deve a um sinal desse suposto fim do mundo, que é também reflexo dos pecados que os seus antepassados cometeram na vida (até à 4 geração)... e que é portanto um castigo herdado.
Ora bem, se me perguntarem o que me apetecia naquele momento ter respondido, não vos posso aqui esclarecer porque iam conhecer uma parte de mim muito feia e pouco diplomática, assim e muito por força das circunstâncias da minha vida, o melhor que consegui fazer, foi contar até 20 e conter-me nas palavras.
Na verdade, e num momento de "loucura", dei comigo a preferir que ele até tivesse razão, e que este mundo estivesse mesmo perto do fim, implodindo o mais rápidamente possivel, porque se aproveita tão pouco dele!

10 comentários:

Anónimo disse...

As crises económicas/sociais, ao longo dos tempos foram sempre um gerador de revoluções.
Como foi referido, a História é fértil em crises económicas (5ª feira negra) e crises sociais e politicas que deram origem a I e II Guerra Mundial e até no nosso cantinho aconteceu o mesmo com a Revolução dos Cravos – 25 de Abril.
A minha convicção, assim como a crise são cíclicas, as revoltas também são cíclicas.
Acredito que um dia tudo melhora, basta o Povo acreditar e agir.

VAMOS TER ESPERANÇA E FORÇA

Discretus

Rosa Carioca disse...

Receio o futuro. Pelo que conhecemos da História... enfim... tomara que esteja errada.

Fê-blue bird disse...

Infelizmente comungo da sua preocupação e indignação amiga Atena.
Só lamento pagar o justo pelo pecador.
Já tinha saudades do seu cantinho.

beijinhos

Atena disse...

Discretus, não consigo ver as coisas assim apenas, sob o ponto de vista histórico/cíclico... vejo-me e aos outros nelas, vejo os que amo nelas e vejo que ainda demorará muito tempo a sair delas.
Abraço

Atena disse...

Amiga Rosa, tomara mesmo que esteja errada, mas também penso que não estará muito. Enfim, vamos vivendo cada dia, o melhor que nos seja possivel. Beijinho grande

Atena disse...

Querida Fê, Beijinho grande, antes de mais. Que grandes férias... Grandes porque parece que andou fora imenso tempo. Sentiu-se a sua falta. Espero que tenha disfrutado de uns optimos dias e que venha renovada de força e esperança. (Sei que é dificil, mas vamos-nos "acarinhando" uns aos outros nesta vida louca)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A grande diferença, é que desta vez não vemos sinais de sair dela e isso tira-nos a esperança num futuro melhor. Pelo menos é o que sinto, mas talvez seja da idade...

Luís Coelho disse...

Bom dia querida amiga
As coisas estão muito más e não é só culpa do endividamento pessoal, mas é principalmente pelos desmandos das sucessivas desgovernações que nos tem trazido até aqui, assim como o descalabro das grandes reformas monetárias e de salários principescos a muitos dirigentes políticos e governativos.
Quando se fala em salário mínimo deverão falar também em salário máximo.

O outro aspecto que também queria frisar é o aproveitamento que algumas pessoas fazem, trazendo logo o fim do mundo às costas de qualquer judas que apareça por aqui.

Parece que estas pessoas até arranjam um Deus só para elas. Um Deus que seja amigo e paciente para eles, mas mau quanto baste para meter medo aos outros que andam fora das leis.

Anónimo disse...

AMIGA
TAL COMO TU PELA 1ª VEZ ESTOU PREOCUPADA COM O FUTURO,ATÉ PORQUE OS NOSSOS MENINOS PRECISAM DE COISAS QUE SÓ O DINHEIRO DÁ E INFELIZMENTE CADA VEZ CORTAM MAIS NAS COMPARTICIPAÇÕES.
ACHO QUE ESSE Sr TEM UMA BÍBLIA PRÓPRIA,ONDE LÊ O QUE LHE CONVÉM...EU ACREDITO NUM DEUS DE AMOR , NÃO DE TERROR.
ENFIM AS PESSOAS PRECISAM DE TER ALGO A QUE SE AGARRAR E NESTA ALTURA APARECEM OS OPORTUNISTA QUE A TROCO DE TE DAR UMA VIDA FELIZ,LEVAM AS PARCAS ECONOMIAS QUE AS PESSOAS TÊM.
CADA VEZ EXISTE MAIS GENTE QUE TE ENSINA COMO VIVER FELIZ E COM DINHEIRO .
BASTA VERES NO FACEBOOK QUANTAS PESSOAS EXISTEM DESSAS,QUANTOS CONVITES PARA FEIRA ISOTÉRICAS E OUTRAS DA MESMA NATUREZA.
SOU MUITO CURIOSA SOBRE O SOBRENATURAL , MAS TUDO COM PESO CONTA E MEDIDA,ATÉ PORQUE TU SABES QUE JÁ CAÍ UMA VEZ,COM AS PROMESSAS DE O JOÃO FALAR,NA SEGUNDA PENSO QUE SÓ CAIREI SE FOR DROGADA,SENÃO ESTOU SENIL.
QUANTO AS NOSSOS MENINOS SE SÃO UM CASTIGO...NÃO O CONSIDERO,ACHO QUE COM ELES NOS TORNAMOS PESSOAS DIFERENTES,DAMOS VALOR À VIDA.
BEIJOKAS PARA TODOS E UM BOM RECOMEÇO DE AULAS PARA O TEU VASCO.
ISABEL SANTOS

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Compreendo bem o seu silêncio. Há pessoas a quem não devemos sequer dar oportunidade de argumentar.
Quanto à crise, digo-o desde 2009, o pior ainda está para vir. Tudo me parece muito semelhante à crise de 1929 que todos sabemos como terminou, mas é melhor nem pensar nisso e ir vivendo cada dia.

 
Web Statistics