segunda-feira, 26 de setembro de 2011

DA TEORIA À PRÁTICA


Ando em atrito comigo mesma. Segundo os meus valores devemos passar desportivamente, por cima das coisas que valem pouco, especialmente quando não valem mesmo nada! Nem sempre sou capaz disso e quando perante uma prova ao meu carácter, sou confrontada com sentimentos negativos que peduram por mais de cinco minutos, fico amuada comigo mesma.
Viro-me para dentro e descomponho-me, por ainda não ser superior a certas provocações da vida!
Descomponho-me porque devia já ter a maturidade necessária para desprezar a ignorancia bruta dos outros (Felizmente conheço poucos, neste patamar de ignorancia);
Descomponho-me porque me sinto descer às catacumbas dos seres menos iluminados emocionalmente, quando já me julgava noutro estádio;

O pior é que teoria não me falta e reconheço de sobra o que são erros inuteis que nos consomem, e o que é passar elegante e sinceramente por cima de certas alarvidades, ficando assim sem mácula.
Mas na prática, a coisa fia bem mais fino e quando o animal que trago comigo acorda, é o cabo dos trabalhos para o amansar!

Felizmente só há uma coisa em mim que acorda definitivamente o tal animal: qualquer coisa que mexa no meu filho! Por muito que o tempo passe, este é um facto que não consigo alterar, e na minha presença - um qualquer homo-Sapiens retardado, gritar para o meu filho porque é efusivo nas suas abordagens à sua filha, é dose! Ora a princesa, deve andar numa escola estranha, onde os miudos não jogam à bola, nem saltam em cima uns dos outros e onde não existem crianças com necessidades educativas especiais com modos (compreensívelmente), mais excentricos! Convém que a menina permaneça por muitos anos nessa escola, afim de que esteja a salvo das pessoas que povoam o nosso mundo!

4 comentários:

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Há pessoas que nos tiram do sério e que deviam viver isoladas, eram um favor que faziam a elas e a nós.
Siga em frente!

beijinhos

Anónimo disse...

Bem.
Eu gosto da tua forma de reagir as coisas. Sim porque eu reconheço que sou um pouco passivo.
Quanto a esses iluminados que acham que com gritos conseguem ensinar ou impor seja o que for, o melhor realmente é também eles saborearem o próprio veneno, ou seja responder à letra.
O que eu constato é uma sociedade cada vez menos tolerante, onde as crianças não têm direito à tolerância e nunca vão saber o que é perdoar ou ser perdoados.

BJS
Miguel

filipa disse...

NO COMMENTS(fuck them all)

carlosbarbosa oliveira disse...

Há pax que deviam viver em clusters, para não chatearem os outros
Beijinhos

 
Web Statistics